Você é o curioso...

    contador de acesso grátis
    ...
    ''O direito a ser iguais, quando a diferença nos inferioriza; o direito a ser diferentes, quando a igualdade nos descaracteriza''.

Informação geral.


Depois de algum tempo tendo problemas com o blog, hoje dia 17 de Setempro de 2013 eu consegui arrumar o lealt e o template. Estarei postando alguns textos que já tenho pronto. E para deixar bem claro, todos os textos que aqui são postados são registrados por data e hora de postagem pelo blogspot que faz parte do google.com. Os textos que não são de minha autoria terão o nome do autor em baixo do texto em questão. Já os que não têm nome por logica devera ser os meus. Espero que gostem do blog, e agradeço se puderem comentar as postagens.

Grato: Welder Campos Rodrigues.

Preto fugido


Do jeito que me contaram eu vou contar bem direitinho
Ai que um dia o pai de Suzana saiu passear no vizinho
Suzana ficou em casa companheiro um irmãozinho
Um preto tava sondando de dentro de um capãozinho
Proveito a oportunidade roubou a pobre mocinha

O preto disse a Suzana vejam todos os seus vestidos
Bem depressa e bem ligeiro que o momento está vencido
Que de hoje por diante eu vou ser vosso marido
A Suzana vendo isso dava suspiro doído
Ela se viu obrigada acompanhar o preto fugido

Suzana se viu no aperto ai no momento ela pensou
Ai pegou um punhado de sar e consigo ela levou
Deixou o sar esparramado por todo lugar que andou
Papai vem seguindo o sar e vem achar aonde eu estou
Justamente saiu certo como a Suzana pensou

O preto era indecente em feio estado ele estava
Já fazia muito tempo que nas mata ele habitava
Qua roupa toda rasgada quase sem roupa se achava
Cabelo tava comprido as unha ele não cortava
Parecia fera bruta que nas montanhas morava

O preto disse a Suzana eu sou de cor mais sou de raça
Você vai morar comigo e sem comer você não passa
Eu tenho o meu trabuco que é meu matador de caça
Não pense em fugir de mim este papel você não faça
Se você tentar fugir ai você deita na fumaça

Pra Suzana não fugir no colo dela ele deitou
Ai ele já pegou no sono e seu querido pai chegou
Pois o revorve no ouvido ai um tiro ele disparou
O preto tava dormindo como tava ele ficou
Tava com sono pesado e nunca mais ele acordou


Tião Carreiro

0 comentários:

Viva o Livre!

Declaro aberto os portões desta Sociedade Alternativa. Sintam-se platéia de um palco cheio de personagens que nem eu sei de onde vieram.
A única coisa que sei é que eles estão dentro de mim e que vão começar a aparecer.

Melhor se acomodar, que a cortina já abriu...

Curiosidades..

Minha foto
"Eu acho legal o pessoal acessar o blog e não deixar um recadinho… É massa, é a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… Porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? Não custa deixar um recadinho falando… legal…"

Seguidores

Blog Archive

Eu queria ser poeta. Mais sou apenas um contador de historias.