Você é o curioso...

    contador de acesso grátis
    ...
    ''O direito a ser iguais, quando a diferença nos inferioriza; o direito a ser diferentes, quando a igualdade nos descaracteriza''.

Informação geral.


Depois de algum tempo tendo problemas com o blog, hoje dia 17 de Setempro de 2013 eu consegui arrumar o lealt e o template. Estarei postando alguns textos que já tenho pronto. E para deixar bem claro, todos os textos que aqui são postados são registrados por data e hora de postagem pelo blogspot que faz parte do google.com. Os textos que não são de minha autoria terão o nome do autor em baixo do texto em questão. Já os que não têm nome por logica devera ser os meus. Espero que gostem do blog, e agradeço se puderem comentar as postagens.

Grato: Welder Campos Rodrigues.

Fim de Ano!


Todos sabem que mais um ano está por vir. Isso é tão clichê quanto textos de fim de ano.


Tão clichê quanto as enormes listas de metas e promessas para o ano que está por vir.
E pouquíssimos itens são fielmente cumpridos.
Tão clichê quanto relembrar o que se aprendeu, do que se arrependeu, do que passou.
Tão clichê quanto guardar os momentos que, de alguma forma, serão eternos.


Fins de ano são clichês, como qualquer outro.

Por isso eu desejo para cada um, Um 2011 cheio de clichês incríveis, doces e alegres. Afinal, há coisa melhor a se lembrar do que um clichê?

Ultimo!


Amanhã, dia 31 de dezembro, é uma data inesquecível! Por todas as desgraças que a hipocrisia humana é capaz de me dar, amanhã será o poema final. O último verso! A última rima! O último post deste blog. Agradeço a todos que visitaram este espaço com ou sem frequência. Agradeço a todos pela paciência de meus textos, pela minha arrogância, pela minha dedada na ferida! Último poema amanhã! O ponto final. E sem vírgula! Porque nada adianta o respeito se um dia ele vai te dar m tiro na cara. E pode apostar que vai! Por favor, sem comentários com conselhos. Não é essa a proposta de meu blog, muito menos peço que o vejam com os meus olhos! A minha felicidade é problema meu. Não faço deste espaço um diário. Interpretem de forma que meus textos, de alguma maneira, façam parte do cotidiano de cada um. Obrigado e adeus!

Natal!



Era uma cena totalmente diferente daqueles natais americanizados ou qualquer padrão já estabelecido antes.
A neve não caía do céu, as pessoas nas ruas pequenas, ainda de paralelepípedos, não se comprimentavam desejando boas festas, estavam apenas concentradas nas suas próprias famílias, sorrindo e andando até o seu destino final.
O sol quente queimava as cabeças de um casal de velhinhos sentado naquele antigo banco de madeira, onde, para eles, já era quase um clichê.
As poucas árvores raramente dançavam com o vento, estavam só preocupadas em exibir suas largas folhas verdes e troncos fortes, onde os pássaros se acomodavam e por um bom tempo cantavam.

E um outro casal de velhinhos caminhavam diante dessa poesia viva, sentindo o Natal já chegando.
Um Natal que não era comum, uma celebração, que para muitos seria só mais uma em suas vidas, mas para eles não.
Mesmo não entendendo muito bem o porquê.
O velho senhor segurou forte a mão de sua companheira e continuou em frente, só desejando estar com ela naquela festa deliciosa. Ou até mesmo mágica.
Por que sabia que já não passariam outro natal juntos.


YHWH



Nunca estive na caverna com Platão, mas sei que a única luz que entrava pela pequena fenda me saciou a vontade de me entender. Também não vi Alexandre cortar com sua espada o nó górdio, mas sei que a resolução mais simples de um problema é a mais correta.
Não presenciei a discussão entre Críton e Sócrates, mas consigo pensar com a razão, mesmo que ela me leva a injustiça ou minha morte.
Não vi Beethoven serrar os pés de seu piano, mas sei até que ponto pode chegar a genialidade humana.
Não vi Nietzsche adoecer para eu entender que na doença fico mais perto de meu lírico.
Não vi John Locke desenvolver o anarquismo, mas vi toda religião e manifestações políticas e publicitárias o transformarem em um conceito errôneo de caos.
Não vi Sartre escolher seu caminho e nem Drummond tentar passar pela pedra em seu itinerário, mas sei analisar a melhor rota à seguir.
Não me perguntei por Piu XII, mas sei o quanto é fácil financiar o diabo lhe comprando o melhor terno.
Não vi Eisntein criar a teoria da relatividade, mas sei que meu atraso é problema só meu.
Não vi Jesus no monte, mas sei que tudo o que ele disse é tão óbvio que a nossa ignorância insisti em estacá-lo.
Não me acabei em compreender a filosofia da composição de Poe, porque aprendi a entender os meus próprios poemas. Como também não precisei pegar o trem de Villa-Lobos para musicar meus textos.
Não assisti a nenhum discurso de Durkhein, mas sei que depressão não é frescura e muito menos que o suicídio seja uma covardia.
Também nunca uma alma me voltou, me aconselhou ou me atormentou, mas sei que a carne viva que dorme ao meu lado é muito mais perigosa que as historinhas para uma criança rezar antes de dormir. Nunca presenciei o diabo, mas cansei de ouvir seu nome como argumentos para explicar meus problemas e dos outros.
Nunca ouvi Deus, porque Ele não precisa me dizer nada. Porque sou eu quem deve lê-lo.
Se você já presenciou tudo isso, conversou com todas as suas almas, ouviu seu coração, fingiu não chorar, berrou para qualquer espírito como ato de fuga, ajoelhou-se numa tábua para pedir perdão é melhor você viver mais, ler mais, pensar mais, cantar mais.
Agora, meu amigo, se você realmente ouve Deus, me fale a pronúncia correta de YHWH ou procure um psiquiatra.
Ou ate mesmo Indiana Jones, quem sabe ele não sabe a pronúncia de YHWH!



"viver é fácil de olhos fechados"
John Lennon

Talk of crazy people!


Eu falo sozinho.

Falo sempre.

Sempre falo.

Não há nada de espanto nisso.
A senhora reza todos os dias e acredita que está com alguém. O torcedor grita sozinho na sala achando que os jogadores vão ouvi-lo.
O pobre rapaz reclama com o amigo de boteco sobre sua namorada, mas só sossega quando fica de um lado pro outro pela cama se perguntando, sozinho.
A maioria das pessoas parece orquestrar uma filarmônica quando falam sozinhas.
Ou um bando de filósofos com a mão no queixo.
Eu não!
Minhas mãos ficam ocupadas com o cigarro. Mas continuo falando sozinho. O vizinho me taxa de maluco, a vizinha diz que sou desequilibrado. Mas se tudo isso fosse loucura, choraríamos na presença de todos, com milhares de testemunhas.
Não vejo nenhuma loucura nisso. Adoro ouvir minha voz reclamando pelos corredores ou xingando qualquer coisa, qualquer ato sem pensar.
Adoro me deitar pra dormir e dizer boa noite para as paredes. Acho fantástico acordar e me perguntar toda manhã o porquê tive pesadelo ou o porquê dormi tão mal.
E o número de pessoas que falam tudo ao desligar o telefone?
É enorme.
É um festival de puta que o pariu, merda, por que ela fez isso? Ou por que eu não disse isso? Ou por que ele é desse jeito?
Loucura?
Não, nos sentimos bem sozinhos porque o coletivo nos traz corrupção, nos faz corruptos.
Isso não me espanta.
Ficarei espantado quando atender ao telefone e do outro lado da linha ser eu.


Você sabe o que o certo. Você sabe o que é errado.
A única coisa que muda é a sua escolha. A partir daí você começa a sofrer com as consequências, sejam boas ou ruins.

É como a bebida e o cigarro proibida para menores de idade; você sabe que se você não tem 18 anos ainda você não pode beber. Mas se você quer, fazer o que ? Infelizmente ninguém te proíbe de nada. Só depois, quando você tiver crescido você vai ver que nada disso melhorou em você - só piorou.

As escolhas são uma das coisas mais importantes da nossa vida. Elas decidem quem e como seremos amanhã.

1980? 2010?



Um dos grupos de rock mais importantes para o movimento BRock, o Legião Urbana surgiu em Brasília em 1983, numa época fértil do cenário roqueiro da capital federal. A origem do grupo vem da banda punk Aborto Elétrico, integrada por Renato Russo no final dos anos 70. A Russo, vocalista e baixista, juntaram-se o guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá, que integraram o clássico trio. O baixista Negrete participou de alguns discos históricos, como "Que País É Esse?", e de muitos shows. Nos anos 80 passam a fazer sucesso fora de Brasília, tocando principalmente no Circo Voador (Rio de Janeiro) e emplacam de cara algumas de suas mais famosas, como "Que País É Esse?", "Geração Coca-Cola", e "Ainda É Cedo". O primeiro compacto foi lançado em 1985, com "Será", e obteve ampla aceitação do público jovem em todo o Brasil. A partir daí o Legião Urbana se tornou uma febre, angariando milhares de fãs nas décadas de 80 e 90 e sendo considerada a maior banda de rock do país. No total foram oito discos lançados até a morte do vocalista Renato Russo, em 1996, vítima de Aids. Russo gravou também dois discos como cantor, um com músicas italianas e outro lançado postumamente. Sua morte reativou uma espécie de mitologia sobre seu nome, tornando-o um ídolo entre adolescentes que sequer acompanharam a fase mais popular do Legião Urbana. Alguns dos maiores sucessos do Legião Urbana foram "Quase sem Querer", "Eduardo e Mônica", "Faroeste Caboclo", "Pais e Filhos", "Meninos e Meninas" e "Angra dos Reis".

- Fonte : CliqueMusic

Uma das coisa que mais me chama a atenção do grupo é que eles ainda fazem um grande sucesso atualmente.
Eles conseguiram com que as letras das músicas entrassem em nosso coração e fizessem-nos refletir sobre tal assunto.
Procure escutar um pouco as músicas deles que você saberá o que fazer.

Unbearably Stressed!






















É assim que estou ficando... Insuportavelmente Estressado.

21 anos!


21 anos.

Sou efetivamente maior de idade. Como isso muda minha vida?
Teoricamente, em NADA.


Feliz Aniversario para mim!

Futuro?



- Sabe.. Tenho medo do futuro
- Por quê? Welder, você é jovem e esta longe dos sessenta.
- Justamente por isso tenho medo.



Nem Rei, nem plebeu.
Nem Deus, nem mortal.
Nem bonito, nem feio.
Nem gênio, nem burro...
Apenas com a nobreza de um Rei, a humildade de um plebeu, a idealização de um Deus, a espontaneidade de um mortal, a beleza dos bons sentimentos, a feiúra dos maus, o brilhantismo da genialidade, e a vontade de aprender de um ignorante.
Eu sou assim, nem mais, nem menos.
Irmão do Rei, filho d Rainha, e criado por Deus...

Ato ou efeito de fazer


Fiz... melhor... não fiz!
Não faço nada!
As palavras que fazem!
Palavras mandam
Palavras dizem
Palavras não saem do meu pensamento!

Afinal, penso em palavras!


Já dizia Rubem Alves:


"Olhos são pintores: pintam o mundo de fora com as cores que vivem dentro deles".

Sendo assim, não posso ser como me vêem, posto que cada um vê de forma diferente.

Sendo assim, não posso ser como me vejo, posto que não me vejo como sou realmente.

Sendo assim, sou como vejo.

E, como vejo?

Vejo com bons olhos. Olhos que vêem e são vistos. Olhos que, como de todo mundo, são as "janelas da alma".

Mesmo assim, vejo mal.

Afinal, diz o Pequeno Príncipe: "Só se vê bem com os olhos do coração. O essencial é invisível para os olhos."


... The spectacle of the world ...



Enquanto o Sol dorme, as estrelas caem e brilham no céu junto da Lua, que ilumina a rua deserta.
Em meio a esse singelo espetáculo do mundo eu me deito e fecho os olhos a fim de estar cada vez mais perto desse show em meus sonhos.
A escuridão preenche o quarto e o silêncio canta em meus ouvidos.
Os ponteiros do relógio, agitados, andam cada vez mais rápido e eu, ainda, não dormi.

E durante essa insônia toda, eu converso com Deus, mesmo parecendo que ele não me responde, eu sei que ele me escuta. Mais do que qualquer um.

Pensamentos continuam a bagunçar minha mente, os cobertores me aquecem, meus olhos, agora abertos, nada enxergam e o quarto continua inerte.
O que mais desejo é poder dormir e esquecer do mundo afora e seus problemas, pelo menos durante uma noite.
Em mais uma tentativa, fecho os olhos. E logo o sonho com as estrelas caindo e brilhando junto da Lua.
.
.
.

O espetáculo do mundo.


Gastei uma hora pensando num verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.


Carlos Drummond de Andrade

Uma ciência com várias caras.




No passado, a Geografia como disciplina escolar era extremamente vinculada a conceitos definitivos. Devido a isso diversos materiais didáticos forneciam informações meramente descritivas que não tinham nenhuma ligação entre aspectos naturais e sociais, a preocupação do ensino era somente conhecer, ou melhor, “decorar” dados estatísticos, nome de rios, de países, capitais entre outros. Diante dessa consideração fica claro que os conteúdos adotados não tinham perspectivas críticas e sim técnicas e sem argumentação.

A Geografia Tradicional, como é conhecida entre os profissionais, valorizava os aspectos físicos enquanto que a dinâmica populacional e os fatores históricos eram quase que desprezados, além disso, existia uma nítida distinção entre Geografia Humana e Geografia Física, essa visão é um tanto equivocada e uma idéia dicotomizada. A divisão da ciência é negativa, uma vez que não é possível analisar somente a natureza, sem levar em conta a interferência constante que o homem desempenha no espaço geográfico.

Para confrontar a Geografia Tradicional surge a partir da década de 60 a Nova Geografia também conhecida de Geografia Crítica, nessa etapa as idéias são alicerçadas no marxista em que focaliza no estudo crítico da sociedade e suas relações, especialmente na análise das classes.

Hoje é preciso mesclar conceitos e correntes de pensamento do pensamento geográfico, vivemos em um mundo globalizado onde cada vez mais as informações têm fundamental importância. A geografia e o seu ensino deve ser desenvolvida de forma dinâmica para que acompanhe todos os passos de um mundo cada vez menor, essa ciência deve realizar uma leitura da entrelinhas dos fatos que ocorrem desde questões naturais até conflitos.



Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

Great Blue Hole!



Buraco azul é uma caverna submarina ou sumidouro subaquático.
Este tipo de buraco também pode ser chamado de cavernas verticais.
Existem muitos buracos azuis localizados ao redor do mundo, de Belize e Bahamas ao Mar Vermelho.

E aqui eu vou falar do Great Blue Hole.




Este buraco gigante tem o nome de Great Blue Hole e situa-se no mar ao largo de Belize.
Este buraco foi feito pela natureza, sem nenhuma intervenção do homem.





O furo é em forma circular, com mais de 300 metros (984 pés) de largura e 124 metros (407 pés) de profundidade. Foi formado durante vários episódios de glaciação do Quaternário, quando os níveis do mar eram muito mais baixos.





The Great Blue Hole é uma parte do maior Belize Barrier Reef Reserve System, um Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).




Great Blue Hole é um daqueles fenômenos que nos faz pensar que deviamos olhar bem melhor para a natureza e ter mais respeito por esta.








'' Algumas pessoas olham o mundo e perguntam: Por quê?
Eu penso em coisas que nunca existiram e pergunto: Por que não?''

George Bernard Shaw

Dádiva...


Não há nada melhor nessa vida do que sorrir.

Só que sorrir de verdade, com o coração.
A felicidade está aí, para qualquer um, só basta você pegá-la e saber usar da melhor maneira possível.

Não a jogue fora.

Você vai sentir falta dela mais tarde.
E por mais que pensamos que a felicidade já foi e não vai voltar mais, tenha certeza que está enganado. Ela vai voltar sim, mais cedo ou mais tarde.
A vida não é só uma alegria, infelizmente. Mas são com esses momentos de angústia que mais aprendemos.
Aprendemos que a felicidade é uma dádiva...

.
.
.
.


Você me faz feliz amor!
Te Amo!



Time!






Encostou a cabeça na janela e ficou vendo as coisas passarem.
Passa a rua, passa gente, passa carro, passa o tempo.
A blusa suada grudada na pele fica lembrando o calor que não passa.
Passa a calma, passa o sono, passa a roupa, passa o tempo.
O ônibus para em cada parada e as coisas param de passar.
Então, passam bêbados, passam gordos, passam perfumes insuportáveis, passa o tempo.
O ponteiro da hora marcada passa da hora e tudo demora.
Passa tudo, passa por cima de tudo, o tempo passa sem parar.


.
.
.
.

Gotas!





Melhor do que aconchego de um jato de água morna, é
a agressão de um jato de água gelada.
Água morna já acalma antes mesmo de encostar em um pedaço de pele.
Água gelada é tensão. É tensão por saber que, daqui alguns segundos, faquinhas
disfarçadas de gotas vão encostar nas costas quentes de algum corpo recém-agitado.
É tensão por saber que aquele contato vai ser inevitável caso não se tenha chuveiro elétrico, ou não queira ir até a cozinha, esquentar a água, jogar num balde, levar o balde e ainda trazer um copinho pra derramar água devagar na cabeça.
O quente queima. O gelado maltrata. O quente renova. O gelado faz é nascer de novo. Quente demais pertuba. Gelado demais angustia silenciosamente. No quente, muito quente, não tem jeito. No gelado, muito gelado ainda há uma saída.
Abrir o chuveiro e se jogar na água. Sem espera, sem preparação, sem pressentir o que estar por vim. Se jogar e ficar e sentir como se pedaços velhos tivessem se congelando e caindo, caindo, caindo...até sobrar o essencial. É sair e sentir o sangue gelado, o frio tremendo, o corpo limpo e alma lavada.


Inquieto!


Quando as palavras fogem, levam consigo uma parte de minha inquietação.

Começo uma busca incessante, fecho olhos, mas apenas letras desconexas aparecem. Não é falta de motivo para usá-las, é justamente o contrário.
Sobrecarrego a matéria-prima concretizante de minhas idéias e recebo em troca estímulos vazios e uma calma, que algumas vezes, chega a ser irritante.
Nessas horas, imagino a enorme bagunça que deve estar minha cabeça.
Palavras de cabeça para baixo, acentos sem donos, vírgulas sendo confundidas com ponto final.
E nesse ambiente inconstante, como a reação de uma ação, sou levado a ficar parado, calado, literalmente, sem pensar em nada de concreto.
Passado a saturação de palavras, a desordem, o trabalho árduo dos meus organizadores mentais, chega a lista das idéias. Uma lista simples, sem organização por ordem alfabética ou diária.
Dias confusos, angustiantes, no entanto, calmos.
É o total oposto dos dias sem compromisso, da repentina vontade ousada de escrever qualquer coisas em qualquer lugar, das idéias desvairadas que se transformam logo em longos textos, da desesperada vontade de ter os olhos do mundo sobre o meu papel escrito.
.
.
.


o.O

Happy Birthday!


É grande a vontade de dizer as palavras mais bonitas que você

merece ouvir neste dia.
Porque hoje é um dia muito especial...Especial para você.

É o dia do seu aniversário.
Hoje você completa 18 anos de idade.
Espero que o dia de hoje seja melhor que o de ontem...

E que o amanhã você pense com serenidade...
Porque o ontem, você deixou para trás guardando-o na
memória as lembranças da infância...

Você cresceu!

É uma experiência única, onde você começa uma nova etapa da sua vida...
É o mundo se abrindo diante dos seus olhos, é uma beleza tão singela, pura,
uma forma linda de comemorar seus 18 anos de idade, poder aproveitar o que há de melhor nesse mundo...

Pois, cada ano que passar, você terá mais responsabilidades, mais sonhos para sonhar, mais maravilhas para viver.

Se você quiser hoje o dia será lindo!
Porque a felicidade de comemorar uma data tão bela vem da fé, da esperança, do desejo de que cada dia seja melhor...

E, neste dia especial, eu me cinto feliz em podermos compartilhar com você essa data maravilhosa, ofertando-lhe um pedacinho do céu que guardei dentro do meu coração.

Que você trilhe o caminho da vida em busca da realização de todos os seus sonhos, afinal de contas você é uma bênção do céu.

Parabéns por essa data bonita da sua vida... Parabéns pelos 18 anos de vida.

Que a luz do céu derrame sobre você todas as bênçãos de paz, de alegria, de felicidade e de muito amor.

Seja muito feliz...




[8)][/)]


Assim é quem escreve uma escrita.


Não tente me encontrar em minhas palavras, busque você.

Não tente me descobrir em minhas metáforas ouça o que vibra em você.
Não tente entender minha poesia. Essa é a minha droga, a minha utopia. Essa é a minha toca, a minha abadia a minha morte, a minha alegria. Esse é o meu delírio.
Não me reduza a uma sopa de letras não me traduza.
Não me seduza.
Não me encomende desculpas.
Não me comente.
Não se contente.
Não critique meus pontos entenda que são apenas contos.
Não simplifique os entornos olhe pra dentro.
Não classifique os pronomes.
Não troque os nomes.
Não adjudique os sentidos.
Não esclareça os perigos.

Quando me ler, ouça você.

Se não fizer sentido aceite minhas desculpas pelo tempo perdido.
Minha poesia transcende a mim. Minha loucura espalha o carmim.
Minha caneta tem vida própria.
Meu silêncio entorna, derrama, exclama.
Meu desespero não é meu é apenas a reverberação da tua alma.
Meus textos não deviam ser levados a sério saem porque latejam escorrem rápido sem tempo de censura sem lógica e sem mesura sem ética, sem tortura como um desejo quase um lampejo um alívio um gozo. Saem porque tem que ser, saem porque são pesados pra ficar no ar, tocam quem têm que tocar.
Não me confunda com o que lê. Apenas leia.
Não interprete, sinta.
Não me pergunte, intua nao me responda.
Faço porque gosto pelo simples prazer de acabar pelo simples voar pelo simples voltar pelas distâncias que percorro pra chorar pelas nuanças das frases, pela alegria, pela covardia.
"O Poeta é um fingidor" o leitor é um caçador o poeta mente o leitor sente o poeta seduzir, o leitor consente o poeta exagera, aumenta o leitor pondera, acrescenta o poeta é falso, se corrompe o leitor é livre o leitor é um voyeur vibra, ama, chora, grita, despreza, toca, sufoca... lê... caminha... em uma única direção... a de si mesmo.


..

Meus olhos pesam como trinta elefantes..

Tudo é muito relativo.



Partindo do princípio que as coisas não se subordinam a um princípio absoluto, é de se concluir que as coisas são relativas.
Einstein formulou uma teoria a qual dizia que o princípio de toda medição do espaço e do tempo é subjetiva. Uma coisa grande só é grande mesmo se observamos as condições o qual está inserido e os tamanho dos objetos que estão próximos!

Então, nem toda palavra é aquilo que o dicionário diz.

Um livro de 732 páginas é pequeno quando soma-se todas as páginas de uma biblioteca e faz-se um só livro.
Um comida apimentada é menos apimentada que uma salada de pimentas.
Quando se está com muito sono e só se pode dormir por alguns minutos, esses alguns minutos são maiores que uma manhã de feriado.
Um copo d'água é pequeno quando colocado ao lado de uma garrafão de 20 litros. Mas um copo d'água é muito quando se está com muita sede, e nem precisa-se estar no deserto.
O alívio que se sente quando se escova os dentes após uma semana é muito maior do que o alívio que se sente quando se escova os dentes para dormir toda noite.
Uma visão com 15 graus de miopia é boa quando se compara com a visão de um cego.
A audição de um cego é melhor que a audição de alguém que confia demais no que vê.
Receber o carinho de um leão de estimação é mais doloroso do que ganhar um carinho de uma tartaruga. Mas se o leão é seu, o carinho dele é melhor do que o carinho da tartaruga do vizinho. Conhecer todo o planeta Terra é pouco quando lembra-se que existe outros planetas.
Saber os nomes de algumas constelações é incrível quando se está ao lado de alguém que não sabe nenhuma. Mas sempre existe uma estrela escondida. Um conjunto de estrelas o qual ninguém nomeou e catalogou em um livro de astronomia.

... Tudo é muito relativo ...

Dizer que sei de tudo é pouco quando descobre-se que saber o verdadeiro sentido das coisas é querer saber demais.





Quando estou triste, magoado, desolado, sempre escrevo melhor...
Isto é doloroso.

Door!


Eu queria me encostar na porta e te dizer boa noite.
Te olhar de longe, a deitar sobre seus lençóis velhos.
Observar o teu travesseiro fino para não doer o pescoço e o outro entre as pernas.
Não precisava me aproximar tanto de voce.
Seria muita audácia minha.
Da porta, eu te desejaria boa noite.
Te desejaria bons sonhos.
Te desejaria um sono perfeito.
Encarar os teus olhos pedintes.
Pedintes de coisas que eu acho que sei.
Não acho, tenho sertesa.
Por isso, ficaria a te fitar encostado na porta.
Todas as noites eu grito boa noite da minha casa
para que voce escute ou cinta o meu boa noite da sua casa.
Hoje, eu quis dizer baixinho.
Baixinho para não perturbar o teu sono.
Baixinho como um sussurro de sonho inacabado.
Da porta, iria ver você se enrolando entre panos.
Desligaria a tv e no escuro ainda ia continuar a te olhar.
Me aproximaria da cama.
Você nada via, já tinha os olhos fechados e cobertos.
Me aproximaria mais.
E puxaria o lençol para baixo.
Só um pouquinho, quase nada.
Seus pés estavam descobertos.
Iria embora.
Mas, antes, pararia na porta mais uma vez.
Para dizer, boa noite para a tua alma.
Sonhe comigo, talvez.

Boa noite eu te amo!

W&L

Words are like fire that burns the skin!


Tem dias que as palavras fogem da boca...
A cabeça pensa, o corpo gesticula, o olhar comunica, mas a voz se esconde. É como se as palavras se espalhassem pelo corpo e saíssem se acomodando feito pedras.

... Palavras doem ...

Uma marca de pedra na pele dói e o tempo se encarrega de esquecê-la.
Não se esquece de fato uma pedrada.
Sempre que uma pedra for vista, o inconsciente pensa logo: pedradas doem, mas lágrimas não cairão dos olhos por causa da lembrança de uma dor de pedra.
Palavras ditas com rancor são gravadas na memória, dói e o tempo tenta arduamente, esquecê-las.
Não se esquece de fato o que foi dito. Ele (o que foi dito) se perde no turbilhão de informações que a mente grava, se entranha na mais escura pasta de armazenamento da cabeça, mas basta um sinal, uma frase parecida, uma coincidência para que tudo volte ao palco principal. E a volta machuca. As lembranças se formam duras e trazem o silêncio.
Nessa hora, a mais nobre das palavras não substitui a magnificência de um silêncio.
Ele vem e junto a calma, se aconchega para que não se morra da mistura de emoções sentidas.
O mundo barulhento não entende e ignora.
Todos fazem parte deste mundo desorganizado de palavras, gritos, gargalhadas e prantos angustiados.
Mas tem dias que perdemos a hora e a voz, e resta o silencioso mundo dos que param para pensar.

... Silêncio para os que pensam ...



‘ ’ Sei que as coisas que falei te magoarão e que elas irão ficar em sua memória como uma queimadura na pele.
Mais espero que não guarde magoa de mim! Porque eu te amo, e nunca deixarei este amor morrer.
Eu juro para você que o meu amor é maior e mais forte do que tudo!
Eu te amo muito... Desculpe-me pelas coisas tão horríveis que você foi obrigado a escutar de mim! ‘ ’


[/)][8)]

Um pouquinho de Geopolítica!




Foi um período muito tenso...





Mas não deixou de ser apaixonante, toda essa mobilização nacional, essa luta pelo que acreditavam sempre me balançou, me apaixonou e me vidrou, as histórias da nossa temida Ditadura Militar, são tristes e muito emocionantes, fico eufórico com tudo isso, aliás, que estudando de Geografia ou Historia ou mesmo um brasileiro qualquer que conhece não fica eufórico também?


VENCENDO OS CANHÕES!

Operários em construção que lutaram , sofreram e foram torturados por carregarem consigo mesmo idéias que valem ouro e não um ensino de faculdade , de outro lado a elite cultural se mobilizou também , um exemplo , Francisco Buarque , ele não precisava , mas fez ! Canções tão maravilhosas, algumas censuradas, outras não, e quando começaram a censurar todas, surgiu Julinho de Adelaide, a prova viva de que o amor pelo que se pensa é maior do que qualquer dinheiro e situação econômica.
Essa época de censuras, torturas e muitas organizações estudantis nos revelaram o quanto o ser humano é sim ligado ao amor e a um país melhor para todos, quem não sabia quem era Marx se uniu, porque sabia o básico, ele queria ser livre e queria um país IGUAL pra todo mundo, isso já valeu, isso encheu a todos de forças pra encarar soldados e militares e lá foram caminhando e cantando e seguindo a canção...
Revelaram-nos também ídolos, nacionais e mundiais, exemplos de vida e luta.

Utopia!




Em relação a sonhos, sou uma pessoa meio esquisita...
Já pensei em fazer loucuras antes de morrer. Alias, quero fazer loucuras antes de ir embora.
Afinal, se não fizermos nenhuma aventura, ou coisas do gênero, de qual graça terá a vida?
Todo mundo vai pro mesmo lugar no final, mas cada um caminha de um jeito diferente, e esse é o meu jeito, cheio de desejos.

Não sei quantos livros existem com aquele assunto: ''100 coisas para fazer antes de morrer'', ''Mil e um lugares para conhecer antes de morrer'', '' As melhores comidas para saborear antes de morrer'' e milhares de outros títulos assim, ''Antes de morrer''....
Nunca li nenhum livro desse tipo, porque sinceramente, acho que tem livro melhor para ler. Mas acho interessante. É, uma boa idéia talvez, só que não preciso de nenhum livro para tornar a minha vida melhor. Sei bem o que eu posso e quero fazer.

Outro dia, um professor da minha faculdade disse que nós somos motivados por uma utopia.
É esse seu desejo, essa vontade de realizar o que você quer que te faça querer viver.

Ta! Não vamos generalizar, mas é mais ou menos isso, se é que você me entende. E eu tenho várias utopias, muitas até.
E hoje, fiquei com vontade de dividi-las (não todas, é claro) com vocês, =D

1. Dar a volta no mundo. Não necessariamente em 80 dias, ou seja lá quanto tempo for.Conhecer todos os países desse planeta, ou pelo menos os mais bonitos e os que eu mais queira.

2. Andar de balão. Ver o mundo de um outro ângulo, sentindo o vento no rosto.


3.Ter uma Mustang Eleanor. Para mim não existe carro mais lindo do que esse.

4. Conseguir realizar todos os meus sonhos, sem deixar nenhum para trás. Não falei nem metade deles, só que do que adianta querer fazer as coisas, se não consegue realizá-las?


E você, qual é a sua utopia?



[8)][/)]

Mais um Selo '' Dardos ''



pelo selo Dardos!



..:: 1ª ::.. Mundo de três!



É uma casa chamada Mundo de três andares sem grades nas janelas.
Eu a chamo de Mundo pelo fato de ela ser muito grande e ter esconderijos preciosos e escuros descobertos nas minhas expedições vestido de pirata.
No primeiro mora um velho simpático com um cabelo marrom com branco que toca violão, flauta e alguma coisa que eu não sei o nome toda noite.
Moro no segundo andar com minha mãe, meu pai e um irmão estranho. Costumam me achar estranho, mas eu não sou; ele quem é.
Bem, o terceiro andar há muito não é habitado por alguém, que eu saiba. A casa é antiga; tem aparência de coisa que é guardada dentro de uma caixa e a cor desbotou. As paredes são de um azul desbotado e sujo e as portas e as janelas tem uma cor laranja, que quando abertas parecem retângulos pintados em uma tela azul desbotado e sujo. A rua é calma. Em frente a Mundo mora a velha Zalu que cobra mensalmente os aluguéis dos andares. Ela é uma velha boa e faz doces tentadores. O portão de entrada é cinza, tem umas pontinhas afiadas, que parecem agulhas, apontando para o céu e é forte - até hoje, depois de tantas boladas e pedradas, não quebrou. Ele é alto, mas tem um pedaço de ferro colocado na horizontal, que dá pra escalar levando apenas alguns arranhões. Já estou acostumado, consigo atravessá-lo sem dificuldade, mas, quase sempre, está aberto e não preciso me aventurar. Uma pequena escada que antecede o portal de entrada me deixa do tamanho do portão. Minha mãe disse que é só uma tal de ilusão, mas eu afirmo, eu fico do tamanho do portão!

A porta de entrada é de madeira escura com uma janelinhas de vidro opaco. Como ela é linda... mas nada se compara com a escada dos andares. Ao abrir a porta de madeira, aparece uma sala - meus pais a acham pequena demais, para mim, a sala é enorme com um piso que parece um tabuleiro de xadrez. Isso é divertido; tem dias que só pulo nos quadrados brancos, tem dias que pulo alternadamente, quadrado branco, quadrado preto. No meio da sala, tem uma escada com trinta e três degraus, onze para cada andar. Como eu gosto dessa escada. O corrimão é fininho, não dá para escorregar, os degraus são de madeira e faz um barulho de grilo preso dentro do guarda-roupa do estranho do meu irmão. Esses barulhos, durante a madrugada, me deixavam com um medo arrepiante. Que eu saiba, escada não range sozinha... então se o barulhinho aparece é porque tem alguém usando os degraus.

Mesmo assim, eu a acho linda...


Will be continued!

Go up to the window!




É madrugada, e as ruas dormem...
A cidade continua viva, pulsando.
Basta ir até a janela e ver as luzes vibrando. Cada ponto de luz dança na velocidade do vento.
O mesmo vento que passa pela janela e assanha os cabelos.
Há dias que parece que a noite morreu. Não há brisa, nem tempestade. Não há nuvens.
Lua?
A lua não põe nem o brilho em dias de noite morta. Não há barulho. Não há pessoas. Até que um cachorro uiva. Um homem grita. Um carro buzina. E a noite ressucita. O silêncio é quebrado, as janelas se acendem e uma pessoa aparece na esquina. Não, não foi nada. Foi só um susto. No mais íntimo poço da noite, os sussuros da respiração , os gemidos dos corpos em atrito e as agonias da pele em dor são o que há de mais vivo.
É madrugada, e as ruas dormem. As pessoas dormem. A cidade continua viva, pulsando.
Basta ir até a janela e ver que a noite já está indo embora.

Ah volta..


Passar muito tempo sem escrever é como passar muito tempo sem pegar uma gripe forte.
Você vai dormir aparentemente saudavel e acorda com o corpo dolorido, a garganta arranhando e uma preguiça do cão. Com a escrita, é quase a mesma coisa. Seu cérebro fica processando ideias a cada coisa que acontece no seu campo de visão, mas não se consegue transformar uma imagem em palavras, suas mãos têm preguiça de tentar e apagar, tentar e apagar, apagar, apagar, rasgar o papel e deixar pra mais tarde e você fica se sentindo mal por não ter conseguido, ou, ao menos, tentado registrar uma cena.

Já que não escrevia, ao menos, pensava no ato de não escrever. A dificuldade que se tem em 'metaforsiar' um acontecimento qualquer, se relaciona intimamente com a forma que você quer, ou, na forma que você pensa que seu texto vai ser encarado, criticado, julgado, interpretado e mal interpretado.
Quando se começa a pensar demais, ajeitar demais, corrigir demais e inserir intenções demais em suas palavras, mais fica complicado de se escrever sobre tudo.
Escrever é simples. É como somar. Basta ir juntando letras, e mais letras e mais letras. Escrever é quase como andar. Dois passos já é uma caminhada. Dois passos são duas palavras. Duas palavras são partes de um texto. Um texto é um conjunto de letras amontoadas. E escrever é o que? Amontoar letras e mais letras e mais letras.

E, nessa confissão, eu assumo. Deixei de usar as palavras e comecei a acorrentá-las. Transformando os meus textos bobos em formulários cheios de observações.
Deixando de dar vida a algo sem graça, sem importância, para tentar descrever sobre coisas difíceis. Parando de criar significados a coisas desconhecidas para cair na rotina de falar sempre sobre a mesma coisa.

Uma vez, eu disse que a intenção das minhas palavras não era me endireitar. E outra, minhas palavras nem sempre me descrevem. É tudo uma grande invenção. As palavras se cruzam em outro mundo, perpendicular a esse cruel que nos insistimos em, não só viver, mas sonhar, imaginar e criar.

Então, declaro reaberto esse galpão de ideias vagas.
Sintam-se platéia de um palco cheio de personagens que nem eu sei de onde vieram.
A única coisa que sei, é que eles estão dentro de mim e vão começar a aparecer.

Melhor se acomodar, que a cortina já abriu...

ANJO


Ás vezes penso que anjos não são seres celestiais como diz a bíblia, tanto que para falar a verdade nunca li a bíblia, mas tudo bem.
Penso que anjos são simplesmente reais seres humanos que estão próximos a nós para nos proteger.
Se meu pensamento realmente estiver certo posso dizer que sou seu anjo, pois estou aqui para cuidar de você, estou aqui para realizar seus sonhos, para te fazer feliz, para não deixar que você ouse chorar.
Mas se caso você chorar estarei aqui para te resguardar, para te acalentar em meus braços, estarei ao seu lado para que as lágrimas que caírem de seus olhos possam escorrer sobre meu rosto,pois estarei junto a ti a todo momento.
Mas acaba que no final eu como anjo descobri algo a mais sob seus olhos, descobri algo inexplicável, vejo que você também é um anjo.
Através desta descoberta sinto um grande aperto em meu coração, pois anjos protegem, mas nunca ouvi dizer que eles precisão de proteção. Será que minha missão como anjo terminará aqui?
Acho que não, pois com o tempo descobri que você é MEU anjo.
Neste caso vejo que precisamos estar juntos para que um exerça sua função sobre o outro, e nossa missão nunca terminará enquanto houver vida em nós.
Quero poder te mostrar o caminho certo da vida, mas se você achar que o meu certo não é o seu certo, deixarei de lado minhas escolhas e irei contigo no seu caminho para que eu possa te guiar...

...Pois afinal eu sou o SEU anjo.




Texto de: Manoel Eloy Rodrigues Neto

Continuo querendo um mundo melhor.


.

Aprenda a economizar água, então o aquecimento global vai desnaturar suas enzimas (estude biologia). O mundo agradecerá e se o trabalho ''racional'' der certo, você poderá aparecer na televisão.

Acorde na segunda-feira e tome um banho muito bem tomado, com direito a cabelo lavado, unhas escovadas, rosto esfoliado (essa vai para as mulheres... aah os homens também esfoliam o rosto ) e qualquer outra coisa que o deixe inteiramente limpo.
Ao fazer isso, você já está facilitando o resto dos banhos da semana.
Ao sentir vontade de fazer xixi, segure o máximo que você conseguir, se possível até a hora do almoço, pois, por questões de higiene, é preciso lavar a mão a cada ida ao banheiro e antes de comer. Ou, se não aguentar, pois possui distúrbios urinários, não lave as mãos mais de três vezes e fique feliz por já poder fazer parte da estatítica dos que não lavam as mãos depois de certas ações! (não se preocupe, todos possuem micróbios).
Quando for almoçar, use talheres; como você estará com as mãos lavadas, se alimente direito e cuidado para não se sujar. Caso você tenha consciência da sua capacidade de fazer meladeira, como derramar comida na mesa, lambuzar os dedos com o molho de carne e pingar suco de caju na roupa, não lave as mãos antes do almoço. É preferível fazer isso depois.
Se você almoçar tarde, perto do horário do lanche ou do jantar, não escove os dentes, pois precisará lavar depois de fazer a última alimentação do dia.
Faça isso durante sete dias.
Após isso, recomeço o ciclo...
Acorde na segunda-feira e tome um banho muito bem tomado...

Aconselho a não seguir o que esta Sociedade louca diz. Por mais que ela tenha consciência da necessidade de preservar, reciclar e economizar, ela é exagerada, beirando o nojento; mas, mesmo assim, eu sou tortamente louco por esta Sociedade...


[8)][/)]

Aquecimento global ou economia?


.

'' Fazer a sua parte para evitar o aquecimento global é mais um motivo para tentar reduzir a sua conta de luz. "

Aquecimento global e conta de energia no fina do mês. Pelo visto, as duas estão no mesmo patamar de importância.
Se não economizarmos energia, a temperatura da Terra vai aumentar, as calotas polares derreter e o nível do mar subir.
Se não economizarmos energia, a conta de luz vai aumentar, o dinheiro sumir e as dívidas aparecer.
Se não economizarmos energia, as condições ambientais irão mudar radicalmente e iremos torcer para que Darwin e sua teoria da evolução estejam corretos.
Se não economizarmos energia, não irá sobrar dinheiro para mais nada e, se a conta não for paga, ficaremos sem luz alguma.
Numa sociedade há tempos movida pelo dinheiro, nada melhor que o dinheiro para justificar muitas atitudes. Em alguns caso, economizar energia é um ato nobre.
Quer testar?
Chegue na casa de alguém e desligue alguma luz que esteja acesa sem necessidade. O dono da casa lhe achará uma pessoa consciente, educada e preocupada com a preservação do meio ambiente. Agora, faça isso em algum lugar público, onde a pessoa que paga a conta não está presente, por mais que seja conhecida, e você será um alguém que está exagerando no fator racionamento de energia.
É um banheiro pequeno, retangular e que tem duas luzes, um interruptor para cada. Uma luz acesa ilumina o banheiro por completo, mas, como os dois interruptores estão lá, usa-se constamente as duas, mesmo que não haja necessidade. Quando nele entro, acendo apenas uma. Porém, alguém entra no banheiro e, como um ato automático, acende a outra luz e ainda diz, "Por que a luz está apagada?", "Menino, que escuridão.", "Está economizando o dinheiro do dono, é?". Lógico, não são todos que fazem isso. Tento, sempre, com esperança, mostrar que não há necessidade de acender todas as luzes, que economizar energia é preciso, mas não adianta muito. Não pode haver nem um rastro de escuridão; a luz tem que ocupar soberana aquele retângulo quente de alguns metros.
Quer ver alguém economizar uma coisa?
Dê essa coisa para esse alguém e o faça sentir o dono da coisa.
Grande coisa!

Criança...



Quando eu era criança não tinha medo de cair, de atravessava a ponte do parque com os braços abertos, porque uma vez escutei que isso não deixava o equilíbrio cair. O meu objetivo era chegar ao outro lado da ponte.
Mas o que eu queria mesmo era cair e me afundar na rede de elástico.
Quando era criança adorava sexta feira.
Ir pro colégio e poder se esconder nos lugares estrategicamente escondidos que para entrar era preciso encolher a barriga e fechar os olhos sem se preocupar com as manchas pretas de poeira na farda.
Tomar nescau, limpar os dedos gordurosos na calça, fazer uma bola com a blusa e jogar na pia... Fazer tudo isso sem preocupar!
Afinal, não tinha aula no sábado!
Quando era criança não gostava de escrever.
Preferia aprontar e matar meus pais de susto. Como cair da arvore.
.
..
...

Obs: Perdi a chave do meu baú de idéias. O furo que tem só permite a entrada de coisas retas a serem entortadas. A saída está interrompida. Por isso, a Sociedade está sofrendo esse déficit de textos. Fora isso, ela está bem e eu também.

Imagine...


Imagina um barco de papel...
Imaginou?
Pode ser um chapeuzinho de soldado também.

Agora imagina esse barco dentro d'água.
Imaginou?
Pode ser também um soldado andando na chuva.

É a vez de imaginar esse barco com o convés inundado.
Imaginou?
Pode ser os cabelos do soldado todo molhado também.


Dessa vez imagina esse barco carregando sonhos em cada dobradura
Imaginou?
Pode ser também um soldado levando seus sonhos na cabeça, nas mãos e nos pés.


Está na hora de imaginar esse barco sendo levado pelo vento.
Imaginou?
Pode ser também um soldado sendo guiado pela voz que é soprada pelo coração.


Vai imaginando esse barquinho pesado de tanto água.
Imaginou?
Pode ser também um soldado cansado de tanta batalha.

Imagina esse barquinho afundando sem pressa, afudando, afudando...
Imaginou?
Ou tentou salvá-lo?

A água desmancha o papel do mesmo jeito que as batalhas ferem o soldado.
Se tirar o barquinho muito tarde.
Se ajudar o soldado quando não há mais com que lutar.
Tudo já terá afundado.
Tudo já terá indo embora.
Para não mais voltar.

Domingo!


Domingo é a preguiça.
A preguiça de domingo.
A cara do domingo.
O sono de domingo.
A vontade de fazer nada no domingo.
Domingo, quando acordar?
O relógio lento de domingo.
Domingo, acelera!
Domingo vai parando.
Domingo tem cara de parado.
Domingo lembra da segunda.
Domingo não corre.
Domingo dorme.
Segunda não pode chegar com insônia.
Os encontros de domingo.
O namoro de domingo.
O almoço em família aos domingos.
Acordar tarde aos domingos.
Praia dos domingos.
Domingo de praia.
Domingo de nada.
Nada no domingo.
Domingo.
mingo.
go.
vá agora.
se mexe, criatura!

Completando um ano de vida...



Dia 1ª de janeiro o Sociedade do Blog Alternativo completou Um ano de vida...

... Demorei a postar algo por falta de tempo ...
Queria fazer um post legal com uma promoção com um Selo do blog para movimentar a Sociedade que anda meio decaida, mais isto terá que ficar para outra ocasião.
Muitos moradores desta Sociedade se mudarão por falta de assunto, de textos e de coisas legais pra lerem. Mais PROMETO que este ano o blog vai se levantar a Sociedade vai se reerguer novamente.
Agradeço aos 3.775 leitores que passarão pelo blog durante este Um ano de vida, agradeço também aos moradores da Sociedade do Blog Alternativo, que não são muitos mais algum dia batera todos os recordes de habitantes...


Feliz Aniversario Sociedade do Blog Alternativo!



E viva 2010...


Viva o Livre!

Declaro aberto os portões desta Sociedade Alternativa. Sintam-se platéia de um palco cheio de personagens que nem eu sei de onde vieram.
A única coisa que sei é que eles estão dentro de mim e que vão começar a aparecer.

Melhor se acomodar, que a cortina já abriu...

Curiosidades..

Minha foto
"Eu acho legal o pessoal acessar o blog e não deixar um recadinho… É massa, é a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… Porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? Não custa deixar um recadinho falando… legal…"

Seguidores

Blog Archive

Eu queria ser poeta. Mais sou apenas um contador de historias.