Você é o curioso...

    contador de acesso grátis
    ...
    ''O direito a ser iguais, quando a diferença nos inferioriza; o direito a ser diferentes, quando a igualdade nos descaracteriza''.

Informação geral.


Depois de algum tempo tendo problemas com o blog, hoje dia 17 de Setempro de 2013 eu consegui arrumar o lealt e o template. Estarei postando alguns textos que já tenho pronto. E para deixar bem claro, todos os textos que aqui são postados são registrados por data e hora de postagem pelo blogspot que faz parte do google.com. Os textos que não são de minha autoria terão o nome do autor em baixo do texto em questão. Já os que não têm nome por logica devera ser os meus. Espero que gostem do blog, e agradeço se puderem comentar as postagens.

Grato: Welder Campos Rodrigues.

Eu me demito. " aqui pro ce ..i..''



Eu queria ser poeta. Mais sou apenas um contador de historias.

Parado em frente à porta, ele sentiu de novo aquela coisa gelada virando, revirando dentro do estômago.
Esticou a mão direita e em seguida puxou o braço de volta, recuou um passo, como se a maçaneta fosse um bicho pronto para o bote. Já tinha hesitado mil vezes antes de chegar até ali, pensado mil vezes, ensaiado mil vezes.
Pensado e ensaiado.
Ontem mesmo, depois de ter repetido consigo a fala, parou diante da porta, juntou os fiapos de coragem para bater, aprumou-se, respirou fundo… e não bateu.
Antes que alguém perguntasse o que fazia ali, voltou para a mesa sem graça na sala sem graça onde um relatório sem graça para as cinco, urgente o esperava.
Mas hoje não, hoje decidiu que iria até o fim. Respirou fundo e, usando como combustível a indignação que sentia consigo mesmo por ser assim tão covarde, bateu. Sempre assim: “para as cinco, urgente!”, “para daqui cinco minutos, urgente!”, “para ontem, urgente!”. Tudo era urgente.
Mas desde uns dias atrás que ele sentia que viver era ainda mais urgente, viver era urgentíssimo.
Empurrou a porta, pediu licença, entrou e fechou-a atrás de si. A maçaneta não mordia, afinal.
Sentou-se.
As mãos suavam, mas ele soube disfarçar bem. A voz saiu firme, muito melhor do que esperava. O sujeito do lado de lá da mesa largou o mouse, deixou um pouco de lado a tela de e-mails. Estava se saindo bem, afinal.
Então ele pediu demissão.
Sentado na sua cadeira de diretor, a única confortável da empresa, o chefe não entendeu, perguntou se era insatisfação com salário, ofereceu um pouco mais, vergonhosamente pouco mais.
Mas ele não estava aberto a negociações, estava firme no que havia decido, o chefe não pôde fazer nada a não ser concordar. A tela piscava novos e-mails caíam na caixa de entrada.
Era já perto do dia trinta e eles agilizaram tudo para o dia primeiro. Começaria o mês desempregado.
Voltou para a sala, onde não disse nada. Não tardou muito, alguém voltou da chefia e espalhou a notícia da demissão. Ninguém entendeu o porquê ”é salário?”, mas ele nem esperava mesmo que entendessem.
Era funcionário antigo da casa, era funcionário exemplar. Abriu suas planilhas, terminou um relatório urgente para as cinco e meia. Voltou para casa já levando algumas coisas das gavetas, para adiantar.
Dia trinta, despediu-se. Lavou a caneca pela última vez, decidiu deixá-la na copa para quem quisesse o resto das coisas e pastilhas para garganta, uns cartões, o carregador do celular coube numa sacola de mercado.
Sem alarde, sem choradeira, sem fotografias, sem almoço especial. Na cadeira de diretor, o chefe entrevistava um candidato. Já no dia seguinte, começou a procurar. Passou as semanas seguintes olhando classificados, fazendo contas.
Não tinha pressa e só fechou negócio quando achou exatamente o que sonhava. Daí para mudar-se para o sítio foi só questão de tempo.
E foi viver.
Está difícil segurar a ansiedade, as verduras demoram a crescer e nem sinal ainda dos morangos.
Mas logo ele colhe a primeira safra.

0 comentários:

Viva o Livre!

Declaro aberto os portões desta Sociedade Alternativa. Sintam-se platéia de um palco cheio de personagens que nem eu sei de onde vieram.
A única coisa que sei é que eles estão dentro de mim e que vão começar a aparecer.

Melhor se acomodar, que a cortina já abriu...

Curiosidades..

Minha foto
"Eu acho legal o pessoal acessar o blog e não deixar um recadinho… É massa, é a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… Porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? Não custa deixar um recadinho falando… legal…"

Seguidores

Blog Archive

Eu queria ser poeta. Mais sou apenas um contador de historias.